4 de jun de 2013


♪♫  Lions In Cages por Wolf Gang

Aquisição nova: calça verde-oliva. Claro que eu ia me enveredar pelos caminhos do militarismo, principalmente nessa estação, que a proposta voltou (de novo e de novo) e ganhou até nome de neomilitarismo (sendo que não tem nada de novo e inovador). No meu caso, juntei a calça nova com uma t-shirt camuflada, a bolsa de couro e o dockside mais velho e acabado de todos os tempos. Saldo final? Virei soldado fashion sem esforço nenhum. 


T-shirt: Riachuelo | Calça: Riachuelo | Dockside: Riachuelo | Mochila: Renner




Sabe quando você escuta uma música e se apaixona de cara? Estava eu assistindo a um desfile da Ellus (se não me engano) - em uma das primeiras vezes que fui ao São Paulo Fashion Week - e fiquei sem chão quando a trilha sonora começou a tocar. Naquela ocasião Max Blum havia escolhido a canção, que me lembrou imediatamente algo um pouco orgânico, futurista e ao mesmo tempo com o pé enfiado no retrô. Claro que foi o bastante pra eu correr atrás da banda e vasculhar a carreira inteira da mesma, no caso, seu nome era The New Division

Pelo menos já fica na cara só de ver o nome que a banda tem forte influência de gente boa como o New Order e Joy Division, mas ao escutar Opium (a música que tocou no desfile em uma versão de 14 minutos) a referência pode ser sentida no ato. Existe uma obscuridade incrível em cada acorde, que mixa passado e futuro de uma forma linda (essa é a palavra). O The New Division nasceu em 2007, mas só foi em 2011, como o lançamento do primeiro disco, Shadows, que o boom aconteceu. Além de Opium (transcendental), Shallow Play, Sense, Violent, Musich e Special merecem repeat

Outra boa dica é escutar The New Division com fones, pra que a experiência seja ainda mais arrebatadora, afinal, a produção do disco passeia por uma união estruturada de synthpop, eletro , rock e dance music. Play!


+ Em 2012, a banda lançou o EP Night Scape, com mais quatro músicas inéditas. Pride é um sopro de frescor.






O lance é o seguinte, quem acompanha o blog O Homem e a Moda sabe muito bem que não dou ponto sem nó quando o assunto é publipost, notícias patrocinadas, e-mail de assessoria e afins, e que eu realmente faço um filtro bacana do que entra ou não de conteúdo por aqui. A boa notícia é que (vez ou outra) recebo material que vale a pena sacudir a rede pra divulgar, como é o caso do Men’s Market

Os proprietários Lucas Amoroso e Pedro Prellwitz entraram em contato comigo pra apresentar a ideia do site e comentar sobre a parceria com a Gilette. Depois de dar uma boa olhadela no material que eles resolveram investir cheguei à conclusão: Men’s Market chegou pra ficar e merece a atenção dos rapazes. Trata-se do primeiro site de e-commerce brasileiro voltado completamente pra beleza masculina, com produtos da melhor qualidade, de marcas mega interessantes e com preços bem convidativos. Além da Gilette, o site tem no portfólio marcas como Schwarzkopf, Keune, Paul Mitchell e Nickel, com entrega em casa, pagamento facilitado e muita praticidade

E não, não estou ganhando nada pra falar isso, é só clicar no site (https://www.mensmarket.com.br/) pra perceber que a ideia é absurdamente necessária e o serviço é de primeira. O Homem e a Moda indica demais!